26.2.06

 

Mourinho travou Becks

O jornal inglês ‘Daily Mail’ revelou ontem que José Mourinho travou a contratação de Beckham por parte do Chelsea.

A intenção de contratar ‘Becks’ ao Real terá partido do director-executivo, Peter Kenyon, que discutiu a ideia com o patrão do clube, Abramovich.

Por não ter sido consultado sobre o assunto, o técnico luso mostrou-se de imediato contra a contratação e venceu o braço-de-ferro com Kenyon.

25.2.06

 

Luís Filipe Vieira tem lugar anual no Dragão

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, continua a ser sócio do F. C. Porto, grande rival do clube que dirige, e também tem um lugar anual no Estádio do Dragão. A filiação dura há 21 anos, desde 6 de Janeiro de 1985, o que lhe confere o número 17 599, bastante baixo tendo em conta a contabilidade actual. Foi o amigo Jorge Nuno Pinto de Sousa quem o inscreveu como associado, mas é José Carvalho, ex-sócio da empresa Hiperpneus e companheiro de longa data, quem lhe paga as quotas, que estão acertadas até ao final da presente temporada, ou seja, até Junho de 2006. Mas essa ligação vai para além de um simples cartão. "Chegou a ter um lugar cativo nas Antas, agora tem um lugar anual no Estádio do Dragão. Dei o nome dele para meu interesse pessoal, para que eu e a minha família tivéssemos mais uma cadeira, só isso. É evidente que ele não vai ver os jogos", explica, ao JN, José Carvalho que garante a paixão de Luís Filipe Vieira pelo rival "É benfiquista, sempre foi benquista. Não tenham dúvidas disso. Nasceu em Lisboa e é bairrista". O lugar anual fica situado no lado nascente do recinto.

A génese da ligação de Luís Filipe Vieira ao F. C. Porto remonta a Maio de 1984, quando acompanhou o amigo e sócio José Carvalho a Basileia, na Suíça, para assistir à final da Taça das Taças, competição perdida pelos azuis e brancos para a Juventus. "Acompanhou-me porque eu sou portista e o nosso amigo Jorge Nuno Pinto de Sousa inscreveu-nos como sócios do F. C. Porto. Até hoje continuo a pagar-lhe as quotas, ele sabe disso, e só não o farei se me disser o contrário. Nunca me pediu para o fazer e nunca lhe apresentei a factura da despesa, porque o Luís não merece uma coisa dessas", sublinha José Carvalho, que em 1978 montou a empresa de pneus Hiperpneus em sociedade com o actual presidente do Benfica "Éramos empregados no ramo dos pneus, mas em firmas diferentes. Um dia disse-me que podíamos fazer uma boa dupla e montámos a empresa em Outubro de 1978 com 80 contos em cada bolso. Crescemos e vendemos a sociedade em 1999".

José Veiga já não é associado

Sardoeira Pinto, presidente da Assembleia Geral do F. C. Porto, recebeu uma carta em Novembro do ano passado de Amaro Correia, sócio 9204, para que Luís Filipe Vieira e José Veiga fossem excluídos da filiação ao clube azul e branco, mas a convocação dessa assembleia geral só pode ser requisitada pela Direcção do clube, pelo Conselho Fiscal ou por um grupo de 200 sócios que tem de fazer um depósito de 25 euros. "Remeti a carta à Direcção e respondi ao sócio», explica Sardoeira Pinto. Mas José Veiga, director do futebol do Benfica, deixou de ser sócio do F. C. Porto em 2002, quando ainda era agente de jogadores, depois de uma ligação de 14 anos. Tinha o número 27 642.

 

É por estas que Mourinho não tem amigos

Ver futebol num pub inglês é quase tão emocionante como ir a um estádio de futebol. A sala está sempre apinhada e, apesar de não haver cânticos de claques, há sempre gritos de apoio e indignação, tão ou mais estridentes que na verdadeira bancada central. Anteontem, durante o Chelsea-Barcelona, entrei num desses sítios bafientos e divertidos para ouvir os adeptos de Londres. E que desilusão tive, mais uma vez, ao ver que a maioria celebrava os golos do Barcelona com mais entusiasmo do que os do clube nacional.

É certo que esta realidade não pode surpreender os portugueses. Adeptos fiéis e cegos que somos, todos sabemos que os ciúmes clubísticos podem suplantar a razão e o patriotismo. E que essa história de sermos "todos portugueses nas competições europeias" é dita por muitos mas sentida por poucos. Não é católico, mas é verdade.

O problema com o Chelsea é que o facto de haver tantos ingleses a celebrar os golos do Barcelona não se explica só com o facto de haver em Londres mais adeptos do Arsenal, do Tottenham ou do Fulham. Infelizmente, é mais grave que isso.

Há um claro sentimento antiChelsea enraizado entre muitos ingleses, que as vitórias do clube têm vindo a esbater, mas que alguns comportamentos têm vindo a agravar. Que comportamentos? Isso mesmo, os de Mourinho.

O mau perder do treinador português voltou esta semana a ensombrar um jogo fantástico e a dar razão aos que não gostam do seu perfil. Del Horno foi mal expulso? Sim. A expulsão determinou o resultado? Sem dúvida. Mas fez Messi um teatro maior que o que fazem os jogadores de Mourinho? Não. E terá o árbitro entrado numa conspiração europeia para prejudicar o Chelsea? Também não. E por isso não valia a pena ameaçar que vai levar a equipa B a Barcelona, não valia a pena ridicularizar os catalães, nem valia a pena crucificar o talento argentino para exteriorizar a sua frustração. O resultado vai ser o do costume críticas, multas, castigos e, quem sabe?, mais ameaças de morte a um árbitro. A continuar assim, nunca um pub vai torcer por Mourinho.

13.2.06

 

Mourinho vira alvo

Inglaterra: Imprensa britânica ao ataque

A surpreendente derrota do Chelsea frente ao Middlesbrough (3-0) fez a delícia dos tablóides britânicos, que não perderam a oportunidade de criticarem José Mourinho, ainda mais depois do técnico ‘blue’ ter afirmado que os londrinos conquistariam o bicampeonato antes da Páscoa.

A Imprensa de ‘Terras de Sua Majestade’ aproveitou para colocar o ónus da derrota de 3-0 frente ao ‘Boro’ no técnico português. ‘It’s a bleu Mourder’ (Suicídio azul) e ‘You’re not singing any Mour, Jose’ (Já não se canta, Jose) foram alguns dos títulos de jornais no dia seguinte ao volumoso desaire.

No final do encontro, Mourinho não escondeu todo o seu descontentamento. “Quando não ganhamos não posso estar contente”, afirmou o técnico adiantando que não gosta de falar com os jogadores logo após uma derrota. “Prefiro ir para casa, pensar e assistir ao vídeo do jogo, mas só o vou ver uma vez e depois deitar a cassete para o lixo”, reconheceu José Mourinho após a terceira derrota desde que chegou ao Chelsea. Apesar do mau resultado, o treinador da equipa londrina espera que os jogadores se lembrem desta partida para não cometerem os mesmos erros no futuro.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?